É Natal

Oh Majestade! Oh Divino Mestre!

Reunidos em torno da humilde manjedoura, que te recebeu para que pudesses discorrer sobre o teu Evangelho de amor para a Humanidade, louvamos-te e bendizemos este momento glorioso.

Curvamo-nos diante da tua majestade, reconhecidos que somos por tua sabedoria e tuas boas intenções.

Frente à luz que te laureia a fronte nobre, não nos cansamos de fitar tua face misericordiosa e, diante do magnífico quadro de bondade com que nos presenteias a existência, sentimo-nos pequeninos demais, até mesmo na hora do agradecimento.

Rogamos-te, mais uma vez, a intercessão junto ao Pai, para que estejamos atentos aos teus ensinos sagrados e façamos jus a tua proteção.

Mais um Natal, para lembrar-te os feitos: a criança precoce, o jovem destemido, o homem cuja maturidade abalou os alicerces do mundo materialista e hipócrita, a doutrina tão fortemente embasada que, até hoje, passados mais de dois mil anos, ainda é profundamente atual!

Por isso, te pedimos, ainda uma vez, Jesus querido, silencia toda a manifestação do mal em nossos corações, para que nossas palavras se encham da beleza dos teus ensinamentos.

Aplaca a ira, o ciúme e o egoísmo que nos torturam e faze-nos vestir a túnica do amor, para que, onde estivermos, possamos agir com bondade.

Isola-nos de vez da descrença e instila-nos a fé nos desígnios superiores que tanto insististe em deixar gravada na alma dos teus contemporâneos.

Jesus, amigo de todas as horas, recebe esta prece singela que fazemos em teu louvor e abranda um pouco mais os nossos corações, dispensando a eles uma parcela a mais de tua bondade. Que eles se tornem fieis a ti como desejas e se disponham a servir a obra do Pai com mais desprendimento e amor.

Ajuda-nos a galgar os degraus de nosso caminho evolutivo e acrescenta a tua misericórdia em torno de nossos passos, para que jamais nos esqueçamos de que somos irmãos em humanidade, sem privilégios ou preterições, diante do Pai magnânimo, que ama profundamente todos os Seus filhos, para que imbuídos de coragem diante das provas que nos visitam, possamos transformar a nossa existência num cântico de Natal, glorificando-te e amando-te na figura de nossos semelhantes.

Que neste Natal e em todos os dias de nossas vidas estejamos dispostos a reverenciar-te e seguir-te, porque só a tua grande alma seria capaz de nos amar com tamanha intensidade.

Que as luzes das cidades encontrem igualmente iluminados os corações dos homens, cantando, em uníssono, Hosana, Mestre Amado.

Que os anjos e prepostos divinos com os quais convives, juntem mais uma vez as vozes para cantar um hino de amor, através do qual os homens poderão te agradecer as lições de humildade, fé e caridade.

Sê conosco, mestre Jesus, neste Natal, agora e para todo o sempre.

Grupo de Psicografia “Paulo de Tarso”

Mensagem recebida em dezembro de 2009

Comentar

Print your seu lugar